Vale a pena Investigar em Lisboa

Projetos Desafiantes

Economia e Inovação

Investigação e Desenvolvimento

Ambiente de trabalho Cooperativo

Centros de Investigação Reconhecidos

Ensino Superior

Ambiente & Cultura

Segurança & Estabilidade

Qualidade de Vida

Projectos Desafiantes

No campo da Ciência e a nível internacional, Portugal tem vindo a assumir nos últimos anos maior protagonismo. A título de exemplo, destacam-se as nomeações de cientistas portugueses para a Secretaria Geral da União Astronómica Mundial e para a Presidência da Academia Europeia das Ciências. Têm-se desenvolvido projetos de investigação, com prestígio internacional, na área das ciências biomédicas, como por exemplo o projeto “Luta contra a Malária”. No âmbito das ciências físicas, o Grupo de Física da Informação e Tecnologias Quânticas do Instituto Superior Técnico foi premiado pelos seus projetos em internet quântica e em ciência fundamental das micro-ondas quânticas.

Destaca-se ainda a investigação pioneira mundial na eletrónica transparente, nomeadamente transístores de filme finos baseados em semicondutores de óxidos.

O grupo de História da Ciência dos séculos XVI e XVII foi premiado pelo Conselho Europeu de Investigação pelo desenvolvimento de um projeto sobre a História da Ciência em Portugal.
Existem inúmeros espaços de investigação e de intervenção em diferentes áreas do conhecimento abertos à curiosidade dos investigadores que aceitam o desafio de desenvolverem a sua atividade em Lisboa.

Economia e Inovação

A cidade dispõe de um ambiente favorável à transferência de conhecimento da academia para as empresas devido à existência de um ecossistema empreendedor dinâmico e diversificado constituído por incubadoras, startups, aceleradores, empresas, fablabs e hubs criativos bastante recetivos aos contributos da ciência.

Verifica-se na  região de Lisboa uma clara aposta  no conhecimento mas também na inovação. Cerca de 72% das empresas investem em atividades de inovação de produto ou de processo (média nacional = 66,8% ).

Os principais laboratórios do Estado sediados em Lisboa como o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o Laboratório Nacional de Engenharia Civil, o Laboratório Nacional de Energia e Geologia, ou o Instituto Hidrográfico apostam em investigação aplicada nos domínios das ciências naturais, das ciências da engenharia e tecnologias. Estes laboratórios integram nas suas equipas diversos investigadores estrangeiros.

1 DGEEC/Jan 2019

Investigação e Desenvolvimento

Em Lisboa situam-se mais de um terço dos centros de investigação existentes no país, salientando-se os vocacionados para as artes e humanidades, ciências sociais, engenharia e ciências exatas. No campo das ciências da vida destacam-se a Fundação Champalimaud e o Instituto Gulbenkian de Ciência.

Na Região de Lisboa o investimento em investigação e desenvolvimento é significativo relativamente à média nacional. Está concentrado nesta região cerca de 44 % da despesa total em I&D e 1,2% de investigadores. Estão nela também instalados 3 relevantes parques científicos e tecnológicos (Lispolis, Taguspark e Madanpark) (2).

Lisboa emprega cerca de 8,5 investigadores por mil ativos, valor superior à média europeia (7,9/mil ativos). No ranking europeu de investigadores, ocupa o 11º lugar por população ativa em 2017 e o 5º lugar quanto ao número de mulheres a desenvolverem investigação (2016) (3).

2. INE, Anuário Estatístico, ed 2017, Ano 2016
3. Eurostat | OCDE | Entidades Nacionais, PORDATA

Ambiente de trabalho Cooperativo

Em Lisboa situa-se uma vasta rede de centros de investigação públicos e privados e laboratórios onde poderão ser desenvolvidos projetos estimulantes, com líderes de equipas científicas provenientes das mais diversas áreas do conhecimento.

A maioria dos centros de investigação é caracterizada por ter um ambiente de trabalho bastante informal, com uma forte componente internacional e multicultural. Nos laboratórios vive-se um ambiente de partilha de informação e de resultados entre as diversas equipas gerando potencial para avanços científicos e tecnológicos significativos.

A excelência das equipas de trabalho contribui para enriquecer o ambiente científico e de permanente inovação.

Centros de Investigação Reconhecidos

A cidade de Lisboa dispõe de uma grande variedade de centros de investigação com excelente reputação internacional como o Centro Champalimaud, o Instituto Gulbenkian de Ciência, o Instituto de Medicina Molecular,  o Instituto Superior Técnico e o Instituto de Nanomateriais, Nanofabricação e Nanomodelagem.

Ensino Superior

Lisboa dispõe não só uma diversificada oferta de centros de investigação como também de uma rede de universidades e institutos públicos e privados altamente qualificados com uma grande capacidade de atrair estudantes estrangeiros. As duas maiores Universidades Públicas da cidade, a Universidade de Lisboa e a Universidade Nova de Lisboa estão posicionadas no ranking 2018/19 das 1000 principais instituições de ensino a nível mundial, respetivamente no 220º e 439º lugar (4).

Cerca de 36% da população residente na região de Lisboa possui habilitações académicas de nível superior. Este valor é significativamente superior à média nacional (25%) (5).

Portugal aparece em primeiro lugar no ranking da OCDE com a maior percentagem de mulheres formadas nas áreas STEM (ciências, tecnologias e matemática) (57%), muito à frente da média da OCDE (39%). Destacamos ainda o ISCTE como a Instituição de ensino superior que neste ranking melhor garante a Igualdade de Género, a nível nacional em 2019 (6).

4. Centro para os Rankings Universitários Mundiais (CWUR).
5. Economia de Lisboa em Números 2017
6. The University Impact Rankings

Ambiente & Cultura

Lisboa é uma cidade com uma dimensão à escala humana em que é ainda possível estabelecer relações sociais de proximidade com colegas e vizinhos ou ir a pé ou de bicicleta para o trabalho. Nos bairros da cidade, a par do comércio local, existem espaços de lazer para as crianças, pequenos cafés e até hortas urbanas.

A oferta de eventos culturais como teatro, concertos, ciclos de cinema, ópera e exposições é bastante diversificada e acessível bem como o é o acesso a equipamentos e eventos desportivos, nomeadamente aqueles que estão relacionados com a prática de desportos náuticos.

De acordo com o relatório da Comissão Europeia, Lisboa ocupa o segundo lugar no ranking geral do grupo de cidades da categoria XL (entre 500 mil e um milhão de habitantes) que avalia a performance das cidades europeias nas áreas da cultura e da criatividade (7).

7. The Cultural and Creative Cities Monitor, 2019 Edition

Segurança & Estabilidade

Portugal é considerado pela Global Finance Magazine o 4º País mais seguro do Mundo tendo em conta indicadores como desastres naturais, crime, terrorismo e guerra (8).

Em Lisboa a probabilidade de alguém ser objeto de confronto físico por causa da sua origem étnica ou convicção religiosa ou ser alvo de crimes violentos é baixa.

Vive-se na cidade um clima de tranquilidade e segurança favorável ao desenvolvimento da inovação e da criatividade.

8. World Economic Forum, The Global Institute For Peace e Numbeo.com

Qualidade de Vida

Salientam-se em Lisboa indicadores de qualidade de vida muito positivos, como por exemplo o da segurança ou do custo de vida. Comparando com outras capitais, Lisboa integra o top 50 das cidades com melhor qualidade de vida, situando-se na 38ª Posição – Mercer, Quality of living worldwide city rankings 2018.